Siga-nos

Notícias

Você está em - Home - Notícias - DPC IRACI TEREZINHA

DPC IRACI TEREZINHA

 

Bancária, Professora, funcionária da Secretaria de Urbanismo da Prefeitura  (SEURB), e finalmente Delegada de Polícia,  já aposentada, IRACI TEREZINHA DE OLIVEIRA, pela primeira vez veio conhecer a sede administrativa da Adepol, onde manteve uma reunião proveitosa com um grupo de Delegadas liderada pela Delegada Ariane Santos, assessora do  Secretário de Estado de Segurança Pública, Uálame Machado, onde repassou um pouco de sua experiência numa conversa informal. Ela possui um vasto currículo na Polícia, constando a direção da Acadepol,  por duas vezes, e na presidência da Adepol, por três vezes, além de diretora das Divisões de Menores, Vigilância – Geral, na época uma das mais importantes da Instituição, Divisão de Patrimônio até chegar na Acadepol. Na DVG foi indicada pelo próprio Secretário de Segurança, Arnaldo Moraes Filho (já falecido), no primeiro governo de Jáder Barbalho, hoje Senador da República. Aproveitando a visita, prestou entrevista   a Web Rádio dos  Delegados,  em que falou  ter sido uma das primeiras mulheres a ingressar por concurso público na Polícia paraense. Naquela ocasião, “ a Polícia era um departamento dentro da Secretaria de Segurança, sem independência e sem status de Instituição”. Ela possuía 32 anos de idade e disse ter sofrido muita discriminação em razão da Polícia antiga ser muito machista, embora em sua turma constituída de 22 Delegados, tivesse 11 mulheres. Elogiou   o trabalho das  Representações da categoria e mostrou todo o trabalho que desenvolveu para a elaboração e posterior aprovação da Lei Orgânica da PC, bem como sua participação na Constituição de 1988 no Capítulo da Segurança Pública. Ela disse: “conseguimos o grande feito na Constituição Estadual de incluir a Polícia como instituição permanente e também conseguimos contemplar a Lei 022, como Lei Complementar e não Ordinária, saindo do Regime Jurídico Único do Estado como antes”. Iraci relembra que teve que interferir  num incidente ocorrido na DVG, quando a Polícia do Exército (PE) invadiu o prédio atrás de um investigador que teria desrespeitado um Oficial da Corporação Militar, sendo acionado até o Governador da época para acalmar a situação. Ao ser perseguida na direção da Acadepol, pediu audiência e foi recebida pelo falecido Governador Hélio Gueiros, o qual queria transformar o prédio da Academia em Instituto Florestal. Ouça a longa entrevista da Delegada dividida em seis partes.


Compartilhe nas mídias sociais