Siga-nos

Artigos

Você está em - Home - Artigos - INCONTIDA VIOLÊNCIA!!

INCONTIDA VIOLÊNCIA!!

No Brasil, a violência é um fenômeno sócio-histórico, fundante e estrutural na nossa constituição social, assim como, um instrumento político de manutenção da unidade territorial e da base econômica escravocrata, desenvolvendo-se como forma de sociabilidade, em verdade o  “código do sertão” conforme  oportunamente conceituou a socióloga Maria Sylvia de Carvalho. Esse processo histórico gerou reflexos culturais e institucionais, os quais, somados a fatores como a concentração de renda, direcionaram em se transformar numa das sociedade mais violentas do mundo, inclusive com o alto grau de tolerância a números exorbitantes de assassinatos. No Brasil, a violência é um fenômeno histórico que persiste em todos os arranjos sociais, mesmo após diversas mudanças políticas. No período colonial, de 1540-1822, a coroa portuguesa valia-se da violência para escravizar indígenas e negros, bem como para manter a centralidade política e a unidade territorial em uma área tão vasta. Durante o regime imperial o uso da violência permaneceu nos mesmos moldes, oportunizando rebeliões por emancipação política, tais como a revolta dos Balaios, Cabanagem, Sabinada e Farroupilha. Mesmo após a proclamação da república em 1889, esta, somente atingiu seu apogeu democrático com o advento da constituição de 1988, isto é, quase um século depois. Não obstante tais conquistas a violência persistiu como instrumento do Estado, especialmente para reprimir populações pobres. A violência também foi utilizada como mecanismo de repressão política, recurso esse que não foi completamente desmontado após a redemocratização, considerando que algumas de suas práticas foram mantidas e ainda hoje reverberam, citando-se como exemplo cotidiano a crescente letalidade policial. O dia a dia deixa claro que o tráfico de drogas permite uma relação direta entre competição e violência. A disputa de mercados por facções rivais, somada a ampla circulação de armas, assim como a sofrível atuação da maioria dos governos facilita o intenso aumento da violência em  determinados territórios dominados. A desigualdade social é um dos fatores que agravam o já alarmante quadro de violência, afinal a imensa maioria dos homicídios dolosos se concentra e comunidades pobres, beneficiado ainda pelo paradoxo impunidade versus punição. Tratando-se de crime de homicídio a Justiça consume em média 8,6 anos para concluir um julgamento, conduta que aliada a baixos investimentos policiais emperra o setor de inteligência das polícias destinados a ampliar sua capacidade investigativa faz com que mais de 90% dos crimes de homicídio não sejam elucidados, portanto, sem punições. No Brasil, a morte violenta figura entre as principais causas de óbito de pessoas jovens, entre 18 e 24 anos, do sexo masculino, representando a médio e longo prazo, uma mudança demográfica, já que a expectativa de vida da população brasileira está aumentando, enquanto a natalidade diminui consideravelmente, vitimando principalmente a juventude pelas mortes violentas.. Valho-nos quem.
 
Delegado Mourão.


Compartilhe nas mídias sociais