Siga-nos

Artigos

Você está em - Home - Artigos - Banalização do Crime

Banalização do Crime

Tornou-se comum ouvir no dia a dia que muitos crimes praticados atualmente são cometidos por organizações criminosas, assim como, arvora-se em verberar que o crime organizado estabeleceu o pânico e pavor no seio da sociedade. Na verdade, o crime organizado para assim ser considerado carece necessariamente ser um sistema voltado para atingir determinados parâmetros previamente traçados, ou seja, trata-se na verdade de um sistema projetado e operado para atingir determinado conjunto de alvos. Não se trata, convenhamos de uma união despretensiosa, na verdade é formalmente estabelecida de maneira consciente, direcionada em alcançar determinadas metas, desideratos, resultados improváveis de êxito agindo-se isoladamente. Assim, não há que se falar em organização criminosa sendo ela desobediente em níveis estruturais, de modo a facilitar a coordenação e distribuição de tarefas, assim como estabelecer o controle administrativo geral. Desta feita, três compartimentos são imprescindíveis em uma organização: estratégico, tático e operacional. O primeiro sendo responsável pelo desenvolvimento dos objetivos e planos do empreendimento criminoso, onde se focam as questões de longo prazo, enfatizando-se a sobrevivência e eficácia geral da organização. O tático responde por traduzir os objetivos gerais e planos desenvolvidos pelo nível estratégico nas ações mais específicas, tratando-se na verdade de um compartimento hierarquicamente menor em relação ao nível estratégico. Já ao operacional pertine prioritariamente supervisionar as operações da organização, implementando planos específicos a serem postos em prática pelo nível tático. Uma organização está fadada ao fracasso caso não haja o processo de descentralização das ações, cabendo exclusivamente ao alto comando a tomada das decisões. Relacionado à organização descentralizadamente distribuída, a “sentença final” deve ser executada pelos níveis mais inferiores, exatamente aqueles “soldados” detentores do conhecimento mais íntimo do problema. Posto isto, para o perfeito funcionamento de uma organização, seja ela lícita ou ilícita, torna-se necessária a convergência de algumas características, tais como número superior de pessoas, liame subjetivo e estrutura hierárquica bem definida. Portanto, relacionando-se às constantes execuções que ocorrem diariamente, trata-se na verdade de ações protagonizadas por grupos de bandoleiros, geralmente foragidos da justiça, a mando de alguém, normalmente recolhido ao sistema penitenciário, exercitando justiça com as próprias mãos, ciente do absoluto clima de impunidade reinante neste país.

Delegado Mourão.


Compartilhe nas mídias sociais