Siga-nos

Assindelp reúne com todas as suas diretorias

Você está em - Home - Notícias - Assindelp reúne com todas as suas diretorias

Assindelp reúne com todas as suas diretorias

A Assindelp realizou, na manhã desta quinta-feira, 3, a primeira reunião do ano de 2019. O principal objetivo do encontro, realizado na sede da Sindelp, foi discutir a execução do planejamento das propostas que já foram apresentadas ao novo governo e de fatos novos que ainda serão externados.

Estiveram presentes os delegados João Moraes, presidente da Unidade Adepol, Maria José Santa Maria, presidente da Unidade Sindelp, Roberto Pimentel, presidente da Unidade Adappa, Dr. Francisco Bismarck, diretor da Adepol, e Dr. Fábio Veloso, vice-presidente da Adepol. Também compareceram à reunião a Dra. Ana Indira, diretora financeira do sindicato, Dra. Marinete Brabo, secretária, Dra. Alessandra Jorge, diretora financeira da Adepol e o vice-presidente da Unidade Sindelp, Dr. Antônio Benone.

“Estamos iniciando um novo ciclo a partir da mudança de governo e do delegado geral. Dessa forma, é importante que as representações se reúnam para traçar estratégias com o objetivo de garantir que as prerrogativas dos delegados sejam respeitadas”, frisou Maria José Santa Maria, presidente da Unidade Sindelp. Na ocasião, foram discutidas a necessária reformulação da Lei 022/94, a criação de Assessoria Parlamentar, reunião com a gestão maior da Delegacia Geral, a atuação da comissão de prerrogativas perante a Corregedoria, diante de tombamento de Apurações Administrativas e Processos Administrativos Disciplinares, entre outras ações.

O delegado João Moraes, presidente da Unidade Adepol, afirmou que a reunião busca retroalimentar as reivindicações já apresentadas ao novo governo. “Queremos discutir algumas situações que perduram dentro da corregedoria de polícia e o fortalecimento das representações durante esse ano. Hoje temos três representantes no parlamento, que são os deputados Éder Mauro, em Brasília, Caveira e o delegado Nilton Neves, aqui no Pará, que nos representam e serão também nossas vozes a serem ouvidas. Precisamos discutir e apresentar novos projetos de lei para a categoria e esperamos que o novo governo facilite a construção de nossos ideais”, afirmou.